4 estratégias para definir o que vender no seu e-commerce

Está pensando em abrir uma loja virtual, mas ainda não sabe quais estratégias utilizar para que ela seja lucrativa? Comece definindo exatamente o que você pretende vender no seu e-commerce. Essa é uma etapa básica, mas que pode fazer toda a diferença para o futuro do seu negócio. 

Segundo dados divulgados pelo estudo Webshoppers (Ebit/Nielsen & Bex Banco), somente em 2020, os brasileiros fizeram mais de 194 milhões de pedidos via internet, o que contribuiu para que os e-commerces apresentassem um crescimento de 41% no último ano. Ao que tudo indica, em 2021 não será diferente, afinal as compras on-line caíram no gosto dos consumidores e seguem em alta.  

Para quem pretende abrir o seu negócio virtual, o cenário é bastante promissor, desde que todos os fatores importantes sejam levados em consideração. Afinal, só investir não basta, é preciso também estudar o mercado, conhecer o público e saber o que pode te ajudar a vender mais. 

A seguir, nós apontamos quatro estratégias que devem ser analisadas na hora de definir o que você vai vender no seu e-commerce. Confira! 

Disponibilidade

Os consumidores têm pressa. Sabe o que isso significa? Que trabalhar com produtos à pronta entrega é sempre uma ótima opção para não perder vendas. Por outro lado, para atender rapidamente o cliente, é preciso ter um estoque – e se o seu produto tiver uma baixa demanda, você pode acabar saindo no prejuízo. 

E-commerces que trabalham com produtos sob encomenda não têm que lidar com o problema do estoque, mas podem sair atrás de uma concorrência que consegue entregar a mesma mercadoria com mais agilidade. 

O que queremos dizer é que tanto produtos sob encomenda quanto à pronta entrega apresentam vantagens e desvantagens e que levá-las em consideração é muito importante para decidir o que vender no seu e-commerce e evitar problemas no futuro. 

Abrangência

Você não precisa, necessariamente, deixar de comercializar um produto por causa do frete, mas se preparar para oferecer uma boa solução é importante. Afinal, produtos caros e de grandes dimensões podem ter um frete alto, se precisarem ser enviados para um lugar distante.

Nesses casos, fechar um contrato com uma transportadora pode ser uma boa saída. Outra alternativa é incluir o valor do produto na mercadoria e oferecer o envio gratuito ao cliente, para que ele tenha um atrativo a mais para adquirir da sua loja virtual. 

Já se você vai trabalhar somente com entregas próximas, uma opção interessante é optar pelo serviço dos aplicativos de entrega, que costuma ser rápido e sair em conta. 

Especializado x generalizado   
Certamente você já navegou por uma infinidade de lojas virtuais e sabe que existem duas modalidades diferentes: as especializadas e as generalizadas. Enquanto a primeira foca em apenas um tipo de produto, a segunda oferece uma grande variedade. 

Quem define qual das duas opções seguir é você. Mas, de novo, é necessário se preparar para as vantagens e desvantagens. A segmentação, por exemplo, permite que você gaste menos tempo atualizando a loja virtual e criando descrições, porque são menos produtos disponíveis. Por outro lado, você corre o risco de não ter aquilo que o consumidor está buscando. 

E-commerces generalizados também têm seus prós e contras. Afinal, as chances de o consumidor encontrar o que busca são grandes, mas, para isso, é preciso contar com mais mão de obra, só assim é possível manter a página sempre atualizada e ofertar aquilo que realmente está disponível no momento. 

Dropshipping

Como você deve ter percebido, o e-commerce pode ser um negócio bastante lucrativo, desde que você saiba estruturar muito bem todo o serviço que irá oferecer. Uma boa forma de fazer isso é apostando no dropshipping, que nada mais é do que você divulgar um produto de uma outra empresa em sua loja virtual. 

A vantagem dessa técnica é que você dá visibilidade para o produto, mas quem fica responsável por ter esse item em estoque e também por enviá-lo ao cliente é a empresa parceira. 

Claro que tudo irá depender do posicionamento e do tipo de produto que você pretende vender no seu e-commerce. Para quem trabalha com mercadorias artesanais, por exemplo, essa prática se torna inviável. Porém, para quem pensa em apostar em uma loja virtual generalizada essa é uma boa forma de reduzir as despesas. 

Percebeu quantos pontos são importantes analisar na hora de decidir o que vender no seu e-commerce? Depois de avaliá-los e definir as estratégias que pretende utilizar, comece a estruturar efetivamente a sua loja virtual levando em consideração a experiência do usuário.  

Compartilhe:

Twitter
Telegram
WhatsApp

Assine nossa newsletter

Para receber conteúdos exclusivos